O nosso Djarfogu virtual almeja ser o ponto de encontro de foguenses e amigos di Nós Stimadu Djarfogu independentemente da simpatia político-ideológica, credo ou outro elemento que nos possa diferenciar neste rico, maravilhoso e latente universo cultural foguense que se estende de Ladjeta, tâ pasâ pa Praia, Europa, tê Merka.
mais

Participe e dê o seu contributo nos debates deste Fórum.

entrar

Qual é a sua opinião sobre a ideia do Projecto Portal da Ilha do Fogo?
 
Fórum Fogo
Welcome, Guest
Please Login or Register.    Lost Password?
Re:A Educação Como Factor de Desenvolvimento (1 viewing) (1) Guests
Go to bottom Post Reply Favoured: 0
TOPIC: Re:A Educação Como Factor de Desenvolvimento
#2
Luís Pires (Visitor)
Click here to see the profile of this user
Birthdate:
A Educação Como Factor de Desenvolvimento 9 Years, 6 Months ago  
Em Cabo Verde, a escassez de recursos naturais e as poucas vantagens comparativas, no já competitivo processo da globalização, implicam cada vez mais, intervenções planificadas e sistémicas no âmbito da Educação e da formação, tendo em vista a conversão do nosso capital humano, maioritariamente jovem, em capital sócio – económico e cultural.
O desenvolvimento de cada localidade, de cada ilha e de Cabo Verde no seu todo, continua a depender essencialmente das transformações que conseguimos operar, pela via da educação, na mente da população activa.
Para que isto aconteça é necessário que o poder público continue a intensificar as suas medidas em matéria de educação e formação e a atender à reconfiguração da política económica global, ao neo – liberalismo emergente e às mudanças permanentes, num contexto de cada vez maior imprevisibilidade.
É, pois necessária, neste novo contexto, uma “nova escola”, capaz de prestar serviços que ainda não existem ou que ainda funcionam deficientemente.
É imperativo que a comunidade educativa assuma um papel pró-activo, numa visão holistica, interactiva e dialéctica, como forma de poder fornecer à sociedade cabo-verdiana o Homem de que, a cada momento e em cada localidade, mais precisa.
Há indícios de grandes mudanças no campo da Educação em Cabo Verde. A problemática do ambiente, a educação para uma cultura de paz e convivência solidária, os direitos humanos e o exercício da cidadania e tantos outros aspectos que constituem hoje, temas da actualidade mundial, são também, nas nossas escolas, matérias de reflexão.
Na ilha do Fogo, não obstante alguma resistência às mudanças, há um esforço continuo por parte dos professores, no sentido de revolucionarem a prática pedagógica, combatendo alguns preconceitos e vãs sobrancerias, que, limitando as nossas acções, podem prejudicar, gravemente, a futura geração.
Estamos cada vez mais conscientes de que o governo e as estruturas do poder local, todos os agentes socio-económicos e culturais, os grupos organizados e os empregadores em geral esperam, hoje, que o sistema educativo e as unidades de formação disponibilizem, para o mercado de trabalho, o profissional com o perfil adequado aos contextos actuais.
Isto, só será possível, se continuarmos a revolucionar as nossas escolas, em todos os sentidos.
O empreendedorismo e a promoção do auto – emprego, o combate ao abandono escolar e a promoção de currículos alternativos têm que poder ser uma realidade efectiva, nas nossas escolas.
Para, conjuntamente, continuarmos a protagonizar as transformações necessárias precisamos, continuar apostados na qualificação do corpo docente.
Em S. Filipe, cerca de 40% dos professores do Ensino Secundário e aproximadamente igual percentagem do Básico, ainda não têm formação.
O abandono escolar, sobretudo no Secundário, constitui, de igual modo, motivo de preocupação. Dados do Questionário Unificado de Indicadores Básicos de Bem-estar (INE, QUIBB 2006), dizem, por exemplo, que em Santa Catarina do Fogo o abandono chega a atingir os 22%.
Pensamos, entretanto, que os serviços de Educação na Ilha poderão melhorar, significativamente, com a construção das Escolas Secundárias de Ponta Verde e de Cova Figueira e a ampliação da Escola Secundária dos Mosteiros, cujos projectos já se encontram bem encaminhados pelo Ministério da Educação e Ensino Superior.
Convém também realçar que o QUIBB (2006) traz, de um modo geral, boas informações para o sector da Educação.
Segundo o QUIBB (2006) a taxa de alfabetização juvenil, isto é, da população entre os 15 e 24 anos, é de 93% em todos os concelhos do país. Esta taxa, em S. Filipe, é de 94.8 %.
Uma outra informação encorajadora é que S. Filipe lidera o índice de satisfação com os serviços de educação em Cabo Verde, com 96%, conjuntamente com Ribeira Grande de S. Antão.
Finalmente, S. Filipe está, neste momento, a mobilizar as parcerias necessárias, no sentido de, num futuro breve, garantir as condições indispensáveis para acolher um Pólo da Universidade de Cabo – Verde.
Enter code here   
Please note, although no boardcode and smiley buttons are shown, they are still useable
 
Report to moderator   Logged Logged  
  Reply Quote
#3
João Manuel (Visitor)
Click here to see the profile of this user
Birthdate:
Re:A Educação Como Factor de Desenvolvimento 9 Years, 6 Months ago  
Gostei da posição do Luís Pires, sobretudo da forma com aborda uma questão tão importante para o desenvolvimento de qualquer país e no caso de Cabo Verde para o desenvolvimento de cada uma das ilhas. Pena é que neste aspecto existem desigualdades tão profundas entre as diversas regiões do país, que vêm desde a época colonial e que infelizmente os sucessivos governos de Cabo Verde não têm podido resolver. Pior ainda é que os investimentos em infra-estruturas e em recursos humanos continuam a privilegiar os três polos, quando em meu entender esforços deviam ser feitos no sentido de se garantir igualdade de oportunidades para todas as regiões.
O Luis Pires fala da construção dos Liceus de Ponta Verde, de Cova Figueira e dos Mosteiros, obras que vêm sendo anunciadas e que infelizmente tardam em chegar.E quando chegarem terão o dimensionamento suficiente para dar resposta às necessidades dessas zonas? Ou serão apenas mais algumas salas de aula, sem a dignidade que os foguenses merecem ? Como foguense faço votos que tenham a mesma dignidade de quantos liceus vêm sendo construidas pelo país adentro. Faço ainda votos que o tão falado Centro de Formação Profissional a ser iniciado em Maio venha a responder às expectativas criadas à sua volta e possa assim contribuir para o desenvolvimento da nossa ilha. Bem haja esta pagina, bem haja este forum e os seus promotores.
Enter code here   
Please note, although no boardcode and smiley buttons are shown, they are still useable
 
Report to moderator   Logged Logged  
  Reply Quote
#4
Santana (Visitor)
Click here to see the profile of this user
Birthdate:
Re:A Educação Como Factor de Desenvolvimento 9 Years, 6 Months ago  
Também gostei do site e dos pontos tratados no forum. Realmente todos estamos à espera do inicio da construção dos liceus e do Centro de Formação Profissional prometido. Segundo se ouve dizer por aí já se resolveu o problema do terreno, mas os foguenses o que querem é ver as obras iniciadas e concluidas o mais breve possivel. Não quero exigir responsabilidades a ninguém pelo atraso porque não conheço os motivos, mas é preciso que em Cabo Verde os planos sejam cumpridos, sob pena de hipotecarmos muita coisa.A propósito alguém podia fornecer informações mais detalhadas sobre o que se pretende construir efectivamente nessas zonas? Aproveito também para felicitar os promotores dessa iniciativa que há muito fazia falta. Assim pelo menos temos um espaço onde poderemos expressar as nossas preocupações e opinar sobre o processo de desenvolvimento do Fogo e do país.
Enter code here   
Please note, although no boardcode and smiley buttons are shown, they are still useable
 
Report to moderator   Logged Logged  
  Reply Quote
#5
Re:A Educação Como Factor de Desenvolvimento 9 Years, 6 Months ago  
O artigo é interessante .
É sem sombra de dúvidas que a Educação forma o núcleo principal para o desenvolvimento dum país, dum povo e duma sociedade evoluída.
Fico admirado que o Fogo vai ter tantas escolas Secundárias. Será que há uma necessidade real?
Hoje é fundamental criar valor acrescentado em tudo, visto que, o dinheiro não abunda com a água do mar nessa terra.
Penso eu, que primeiro deveria de haver uam recolha de dados suficientes para um planeamento exemplar, onde para se chegar aos resultados desejados necessitaria de poucas alterações?
É preciso saber onde estamos, ou seja saber em ponto está a educação no Fogo e em Cabo Verde, então poder-se-à caminhar para o desejado.
Claro que esta minha opinião é como alguém nascido no Fogo, Sampadjudo e não foguense como se fala.

Vou falar do artigo que fala em resistências há mudanças no Fogo e das sobrancerias. Como opinião dele acho mal, como tese académica poderei admiti-lo, porém, creio que sobranceria é dele que escreve tais coisas.
Todavia, no Fogo e fora do Fogo há muita gente capaz de ajudar o Fogo com humildade e com um sentido da terra onde nascemos. Por que não pedir essa ajuda?
Muitos governantes sabem da disponibilidade da gente do Fogo para esse contributo. Ou não?
Quero terminar dizendo que apesar de, tudo é um começo mesmo que seja a desdenhar da terra sagrada que é o Fogo e a sua gente.
Enter code here   
Please note, although no boardcode and smiley buttons are shown, they are still useable
 
Report to moderator   Logged Logged  
  Reply Quote
Go to top Post Reply
Powered by FireBoardget the latest posts directly to your desktop


Investir na Ilha do Fogo


Consulte aqui o seu email: nome@fogo.cv

entrar

Publicite aqui
Publicite aqui
Publicite aqui

copyright © 2017 Portal da Ilha do Fogo
Home