O nosso Djarfogu virtual almeja ser o ponto de encontro de foguenses e amigos di Nós Stimadu Djarfogu independentemente da simpatia político-ideológica, credo ou outro elemento que nos possa diferenciar neste rico, maravilhoso e latente universo cultural foguense que se estende de Ladjeta, tâ pasâ pa Praia, Europa, tê Merka.
mais

Participe e dê o seu contributo nos debates deste Fórum.

entrar

Qual é a sua opinião sobre a ideia do Projecto Portal da Ilha do Fogo?
 
José Maria Neves defende que os africanos devem assumir responsabilidade pela paz, estabilidade e de criar PDF versão para impressão enviar por e-mail
Classificação: / 0
FracoBom 
Escrito por Admin   
06-Dez-2013

Paris, 06 Dez (Inforpress) – O primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves, defendeu hoje, em Paris, França, que a responsabilidade pela paz, estabilidade e desenvolvimento em África depende dos africanos.



O chefe do Governo, que falava na Cimeira Franco-Africana, que arrancou hoje na capital francesa, realçou a importância dos países africanos contarem com parceiros fortes, sobretudo os países europeus, para promoverem o “seu desenvolvimento”.


“A África precisa de parcerias, máxime da Europa, da França, das principais potências mundiais, e é bom que de vez em quando haja este diálogo entre a África, os seus principais líderes e os líderes do mundo inteiro”, disse lembrando que na Cimeira estarão líderes, sobretudo das instituições internacionais como a União Europeia, o FMI, o Banco Mundial, o Conselho Europeu, as Nações Unidas e a União Africana.


Antecipando a discussão sobre a Paz e Segurança em África, José Maria Neves considerou de “válida e pertinente” a iniciativa e, em particular, a decisão da França em enviar os cerca de 600 soldados, no quadro das Nações Unidas, para apoiar os esforços de restabelecimento da paz na República Centro-Africana.


Mesmo reconhecendo que a responsabilidade pela paz, estabilidade e desenvolvimento em África depende dos africanos, sobretudo dos seus líderes, o primeiro-ministro admitiu que o apoio internacional é necessário para que aquele país africano possa conseguir reencontrar o caminho da paz e estabilidade.



“Este conflito deve fazer com que, nós os africanos, possamos tirar as lições de que a África, para ter paz e estabilidade, precisa de Estados capazes para gerir os conflitos internos e capazes de construir uma visão de desenvolvimento”, afirmou.


Ainda, segundo José Maria Neves, o Estado deve catalisar o processo de afirmação das instituições, da sociedade civil e criar as bases necessárias para o desenvolvimento e a modernização do continente africano.


No seu discurso, o chefe do executivo cabo-verdiano congratulou-se com o Presidente francês, François Hollande, pela iniciativa da organização da Cimeira Franco-Africana.


Durante dois dias, cerca de 50 chefes de Estado e de Governo africanos e organizações internacionais vão analisar a criação de uma força capaz de intervir nas crises e conflitos que ainda têm lugar no continente africano.


O encontro vai servir também para encontrar um novo modelo de parceria económica entre França e África, e será uma ocasião para os países africanos, junto deste país europeu, procurarem formas de garantir a paz e segurança em vários países africanos

PC
Inforpress
Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
Smiley
Smiley
Smiley
Smiley
Smiley
Smiley
Smiley
Smiley
Smiley
Smiley
Smiley
Smiley

Copyright 2007. All Rights Reserved.
busy
 
 


Investir na Ilha do Fogo


Consulte aqui o seu email: nome@fogo.cv

entrar

Publicite aqui
Publicite aqui
Publicite aqui

copyright © 2017 Portal da Ilha do Fogo
Home